TURISMO MÉDICO

Posted by João Ferreira on dezembro 5, 2016 in Dicas | Short Link
Nenhum comentário em TURISMO MÉDICO

turismo-medicoVocê sabe o que e turismo médico? Também chamado de turismo de saúde, consiste em ir para outras regiões do país ou mesmo para outros países em busca de tratamento físico, mental ou espiritual.

É um tipo de turismo tão antigo quanto a história da humanidade, afinal, quem nunca ouviu falar que a cidade Y tem um médico “milagroso”, ou que no país X a cirurgia que alguém quer fazer custa 50% a menos do que no país de origem e ainda tem pontos turísticos maravilhosos a serem explorados?

Atualmente, há muitos países que são destinos de turismo de saúde, dentre eles, destacam-se Tailândia, Singapura, Índia, Costa Rica, África do Sul, México, Estados Unidos e também o Brasil.

As especialidades que costumam ser mais procuradas são cirurgias cardiológicas, plásticas, gástricas (bariátricas), ortopédicas e ortodônticas.

Dependendo do procedimento, a economia pode chegar a valores enormes. Por exemplos, um implante de joelho, que custa aproximadamente USD 40.000 nos EUA pode custar algo como USD 12.000 no Panamá, USD 6.500 no México e USD 6.000 na Costa Rica.

As pessoas buscam por esses serviços médicos no exterior por causa dos valores (exemplo de Americanos) ou porque a fila de espera é enorme em países onde o sistema de saúde é universal, como na Europa, por exemplo.

Outra razão de buscar no exterior é porque o os procedimentos desejados não são aprovados no país de origem, mas já são executados no estrangeiro.

É necessário avaliar também a distância, valores gastos com transporte, hospedagem e o idioma daquele país, afinal, se você não consegue se comunicar, nada feito.

Apesar de todas essas possibilidades, há que se ficar de olho na qualidade. O simples fato de sair mais barato e permitir conhecer um novo país durante o tratamento não são suficiente para se fazer a escolha. Existem entidades que fazem o controle das clínicas acreditadas, com procedimentos comprovadamente de qualidade, como a Joint Commission International.

O Brasil também é um grande centro de atração de estrangeiros para turismo médico e ficou muito famoso por causa de cirurgiões renomado, como o falecido Dr. Ivo Pitangui. Procedimentos de cirurgia plástica, implante capilar (para tratamento para calvície em fase inicial não há necessidade), aumentos dos seios, abdominoplastia, etc.

Consulte a Joint Commission International para conhecer as clínicas credenciadas, caso algum dia decida realizar o turismo médico e não se esqueça da parte do turismo; se as condições físicas permitirem, curta o lugar, comida e pessoas.

10 RAZÕES PELAS QUAIS VIAJAR NOS FAZ MAIS FELIZES

viagem-de-carroÉ bem provável que todos nós já tenhamos convivido com pessoas que de uma certa forma fogem ao senso e comportamento comuns. Eu já conheci gente que não gosta de pizza (como é que pode isso?) coca-cola, sexo, Raul Seixas (não perdoo quem não curte Raul), TV, etc., todavia, até hoje não encontrei alguém que não gostasse de viajar. Creio que essas pessoas existam, mas eu ainda não vi ninguém assim. Por outro lado, já encontrei muita gente que sofrem de uma “doença” chamada wanderlust (desejo de viajar). Isso me leva a desconfiar que viajar é um deleite universal.

Eu, particularmente, sou viciado em viajar. Se pudesse viveria no mundo, conhecendo lugares, pessoas, aprendendo sobre novas culturas, idiomas, etc.

Coletei uma lista de 10 aspectos positivos (sei que há bem mais) advindos de viajar.

1 – Despertar autoconfiança, ao lidar com situações atípicas

Não há como fugir disto; por mais maravilhosa que seja a viagem, a probabilidade de acontecer algum imprevisto existe e deve ser encarado sob a ótica do benefício, pois certamente nos fará crescer. E por estarmos viajando, em geral, essas situações atípicas têm que ser solucionadas rapidamente, pois não temos com quem contar, já que os nossos amigos e a maior parte dos recursos conhecidos estão ficaram no nosso lugar de origem. Dessa forma, seremos forçados a analisar e agir prontamente, muitas vezes, saindo da zona de conforto, para solucionar o problema.

2 – Viajar aproxima mais pessoas e casais

Viaje com toda sua família ou pessoa. Notará que todos estarão bem mais relaxados, à vontade, abertos ao novo. É provável que segredos sejam revelados, declarações de amor sejam feitas, erros sejam perdoados, etc. Vocês estarão juntos durante muito tempo, sem a carga de responsabilidade e correrias do dia-a-dia. Fica bem mais fácil conhecer e curtir as companhias.

3 – Desintoxicar das redes sociais

Facebook, e-mail, zap, zap, tweetter, (e a lista continua) sem dúvidas são ferramentas fantásticas e úteis se utilizadas corretamente, mas a verdade é que com frequência passamos dos limites e podemos até mesmo ficar viciados. Durante uma viagem desejamos curtir o lugar, passear, dialogar com as pessoas, sentir os perfumes locais, sabor da comida, etc. Isso nos força a nos desconectar, pelo menos reduzir o uso, de todo esse quantidade de informações.

4 – Aprender uma nova habilidade ou idioma

Muitas viagens são feitas com objetivando-se aprender alguma nova habilidade, fazer algum curso, conquistar um título, aprender ou aperfeiçoar conhecimentos de uma determinada língua estrangeira. Qualquer curso de idioma no nosso local de residência é pode ser bom, mas, para a grande maioria, a melhor forma de se dominar uma língua estrangeira e fazer uma imergir na língua e cultura daquele país.

5 – Sentir-se mais amado, desejado e interessante

Quando somos viajantes, ainda que no nosso próprio país (mas em outro município ou estado), é comum despertarmos o interesse das pessoas locais, ainda que temporariamente. No final das contas, novidades costuma ser interessantes. Esse é outro ponto que nos faz desejar viajar. Residentes locais (exceto xenófobos que infelizmente existem) costumam sentir-se ser interessados e tratar com amabilidade os visitantes. Sentir-se amos é algo que faz muito bem para alma.

6 – Ajudar no conhecimento de si mesmo

Quando estamos distantes da terra natal, sem muitas regras que nos fazem autômatos, sem compromisso com horários, trabalho, estudo, pressão social, etc., temos a oportunidade de sermos nós mesmos e reavaliamos nossa vida, Temos tempo para pensar e analisar, para decidir o que mudar na nossa vida. Isso permite que vejamos facetas de nós mesmo que desconhecíamos.

7 – Fazer novos amigos

Quem tem amigos nunca está sozinho! Ao viajar estamos livres das pressões do relógio, estamos longe das obrigações profissionais estressantes, de tal forma que se torna muito mais fácil construir novas amizades. Já testemunhei pessoas tímidas se mostrarem bem mais abertas à comunicação em hotéis, hostels, praias e países estrangeiros, pois toda essa magia da viagem e distância dos problemas do dia-a-dia fazia com que elas se tornassem bem mais simpáticas e amigáveis.

 8 – Guardar recordações para contar e reviver

Muitas vezes a gente “viaja” ouvindo relatos de viagens de outras pessoas. Ter lembranças para reviver assemelha-se a viajar novamente, e sempre que contamos para alguém nossa aventura de viagens estamos compartilhando um pouco dessa felicidade com as pessoas e reavivando lembranças e sentimentos bons.

9 – Provar novos sabores

Itália é massa! Rússia é vodca! Brasil é feijoada, Estados Unidos é fast-food! Pelo menos é assim que muita gente pensa. Cada lugar que visitamos geralmente ter uma bebida e prato típicos que representam, até um certo ponto, a cultura e identidade de um povo por meio do paladar. Desfrutar disso é bem mais do que deliciar-se com novos sabores, é compartilhar da essência da própria história desse povo. E convenhamos, há muitos sabores deliciosos a nossa espera mundo afora.

10 – Reduzir o estresse

Não há muito a acrescentar sobre este tópico! Tá estressado, vá pescar… ou viajar! É senso e ditado comum.


E para quem acha que está “quebrado” e, por isso, não consegue viajar, dá uma olhada no vídeo abaixo com dicas para viajar sem dinheiro.


Então?! Animado pra viajar depois de ler isto? Deixe seu comentário comentando para onde você irá na sua próxima viagem.